PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS EXODUS

Atualizado em 28/05/2016

As seguintes advertências e precauções aplicam-se à classe terapêutica1 dos ISRSs (Inibidores Seletivos da Recaptação de Serotonina):

Ansiedade Paradoxal2: alguns pacientes com transtorno do pânico podem apresentar sintomas3 de ansiedade intensificados no início do tratamento com antidepressivos. Esta reação paradoxal2 geralmente desaparece ao longo das duas primeiras semanas do tratamento. Aconselha-se iniciar o tratamento com uma dose baixa para reduzir a probabilidade de um efeito ansiogênico paradoxal2 (ver Posologia).

Convulsões: descontinuar o medicamento em qualquer paciente que apresente convulsões. Evitar o uso dos ISRSs em pacientes com epilepsia4 instável e monitorar os pacientes com epilepsia4 controlada, sob orientação médica. Descontinuar o uso dos ISRSs caso haja um aumento na frequência das convulsões.

Mania: utilizar os ISRSs com acompanhamento médico frequente em pacientes com um histórico de transtorno bipolar do humor, mania ou hipomania. Descontinuar os ISRSs em qualquer paciente que apresente uma fase maníaca.

Hiponatremia5: hiponatremia5, provavelmente relacionada à secreção inapropriada de hormônio6 antidiurético (SIADH), foi relatada como efeito adverso raro com o uso de ISRSs. Quando ocorre, geralmente é resolvida somente com a descontinuação do tratamento. Deve-se ter cautela com pacientes de risco, como idosos (principalmente mulheres idosas), cirróticos ou pacientes em uso concomitante de medicamentos que sabidamente podem causar hiponatremia5.

Diabetes7: em pacientes diabéticos, o tratamento com ISRSs poderá alterar o controle glicêmico, possivelmente devido à melhora dos sintomas3 depressivos. Pode ser necessário um ajuste na dose de insulina8 e/ou hipoglicemiantes orais9 em uso.

Suicídio: a possibilidade de tentativa de suicídio é inerente à depressão e pode persistir até que ocorra a remissão. Pacientes potencialmente suicidas não devem ter acesso a grandes quantidades de medicamentos. Pacientes em tratamento com EXODUS devem ser monitorados no início do tratamento devido à possibilidade de tentativa de suicídio, principalmente se o paciente possui pensamentos ou comportamento suicidas ou se já os apresentou em outros episódios. Esta precaução também deverá ser observada no tratamento de outros distúrbios psiquiátricos devido a possibilidade de co-morbidade10 com depressão maior.

Hemorragia11: há relatos de sangramentos cutâneos anormais, tais como equimoses12 e púrpura13, com o uso dos ISRSs. Recomenda-se seguir a orientação do médico no caso de pacientes em tratamento com ISRSs concomitante com medicamentos conhecidos por afetar a função de plaquetas14 (por exemplo: anticoagulantes15, antipsicóticos atípicos e fenotiazinas, a maioria dos antidepressivos tricíclicos, aspirina, medicamentos antiinflamatórios não esteróides - AINEs, ticlopidina e dipiridamol) e em pacientes com conhecida tendência a sangramentos.

Eletroconvulsoterapia (ECT): a experiência clínica no uso combinado de ISRSs e ECT é limitada, portanto recomenda-se cautela.

Erva de São João: a utilização concomitante de ISRSs e produtos fitoterápicos contendo Erva de São João (Hypericum perforatum) pode resultar no aumento da incidência16 de reações adversas (ver Interações medicamentosas).

Sintomas3 de Descontinuação: ao interromper o tratamento com EXODUS, reduzir gradualmente a dose durante um período de uma ou duas semanas para evitar possíveis sintomas3 de descontinuação (ver Posologia).

Efeitos na capacidade de dirigir ou operar máquinas: o escitalopram não compromete a função intelectual ou o desempenho psicomotor17. No entanto, conforme ocorre com outras drogas psicotrópicas, os pacientes devem ser alertados quanto ao risco de uma interferência na sua capacidade de dirigir automóveis e de operar máquinas, principalmente no início do tratamento.

Para o uso em idosos e outros grupos de risco, ver Posologia.

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois a sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
2 Paradoxal: Que contém ou se baseia em paradoxo(s), que aprecia paradoxo(s). Paradoxo é o pensamento, proposição ou argumento que contraria os princípios básicos e gerais que costumam orientar o pensamento humano, ou desafia a opinião consabida, a crença ordinária e compartilhada pela maioria. É a aparente falta de nexo ou de lógica; contradição.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
5 Hiponatremia: Concentração de sódio sérico abaixo do limite inferior da normalidade; na maioria dos laboratórios, isto significa [Na+] < 135 meq/L, mas o ponto de corte [Na+] < 136 meq/L também é muito utilizado.
6 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
7 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
8 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
9 Hipoglicemiantes orais: Medicamentos usados por via oral em pessoas com diabetes tipo 2 para manter os níves de glicose próximos ao normal. As classes de hipoglicemiantes são: inibidores da alfaglicosidase, biguanidas, derivados da fenilalanina, meglitinides, sulfoniluréias e thiazolidinediones.
10 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
11 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
12 Equimoses: Manchas escuras ou azuladas devido à infiltração difusa de sangue no tecido subcutâneo. A maioria aparece após um traumatismo, mas pode surgir espontaneamente em pessoas que apresentam fragilidade capilar ou alguma coagulopatia. Após um período de tempo variável, as equimoses desaparecem passando por diferentes gradações: violácea, acastanhada, esverdeada e amarelada.
13 Púrpura: Lesão hemorrágica de cor vinhosa, que não desaparece à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
14 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
15 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
16 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
17 Psicomotor: Próprio ou referente a qualquer resposta que envolva aspectos motores e psíquicos, tais como os movimentos corporais governados pela mente.

Tem alguma dúvida sobre PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS EXODUS?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.