GLAUCOMA CLORIDRATO DE PAROXETINA

Atualizado em 28/05/2016
Assim como ocorre com outros ISRSs, o cloridrato de paroxetina raramente causou midríase1 e deve ser usado com cautela em pacientes com glaucoma2 de ângulo agudo3.
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Midríase: Dilatação da pupila. Ela pode ser fisiológica, patológica ou terapêutica.
2 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
3 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.

Tem alguma dúvida sobre GLAUCOMA CLORIDRATO DE PAROXETINA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.