SARCOMA DE KAPÓSI RELACIONADO à AIDS PACLITAXEL

Atualizado em 26/04/2017

Terapia de segunda linha: A dose de paclitaxel recomendada é de 135 mg/m² administrados intravenosamente por 3 horas, com intervalos de 3 semanas entre os ciclos, ou 100 mg/m² administrados intravenosamente por 3 horas, com intervalos de 2 semanas entre os ciclos (intensidade da dose 45 – 50 mg/m²/semana).

Com base na imunodepressão observada em pacientes com infecção1 avançada pelo HIV2, as seguintes modificações são recomendadas nestes pacientes:

1. A dose de dexametasona, uma das três drogas da pré-medicação, deve ser reduzida para 10 mg por via oral.

2. O tratamento com paclitaxel só poderá ser iniciado ou repetido se a contagem de neutrófilos3 for de, no mínimo, 1.000 células4/mm³

3. A dose de paclitaxel nos ciclos subsequentes deve ser reduzida em 20% para os pacientes com neutropenia5 grave (< 500 células4/mm³ durante 1 semana ou

mais)

4. Concomitantemente, o fator de crescimento hematopoiético (G-CSF) deve ser iniciado conforme indicado clinicamente.

Paclitaxel também pode ser administrado em uma dose de 80 mg/m² semanalmente para tratamento de câncer6 de ovário7, câncer6 de mama8 e sarcoma9 de kapósi, como terapia de segunda linha, levando-se sempre em conta que todos os pacientes devem ser pré-medicados antes da administração de paclitaxel. Esta posologia parece estar associada a uma menor mielotoxicidade com eficácia terapêutica10 similar à administração a cada 21 dias.


Insuficiência Hepática11

Pacientes com insuficiência hepática11 podem apresentar risco de toxicidade12 aumentado, particularmente mielossupressão graus III-IV. O ajuste de dose é recomendado.

Os pacientes devem ser bem monitorados quanto ao desenvolvimento de mielossupressão profunda.


a - Diferenças no critério para níveis de bilirrubina13 entre infusão de 3 e 24 horas se devem a diferenças no desenho do estudo clinico.

b - Recomendações de dosagem são para o primeiro curso da terapia; reduções de doses adicionais nos cursos subsequentes devem ser baseadas na tolerância individual.

LSN = limite superior da normalidade.


Precauções Quanto a Preparação e a Administração

O paclitaxel e uma droga citotóxica antineoplásica e, portanto, deve ser manuseado com cuidado. O uso de luvas e recomendado. Se a solução de paclitaxel entrar em contato com a pele14, lavar a região com água e sabão, imediata e completamente.

Se houver contato com membranas mucosas15, deve-se enxaguá-las com água.

Após exposição tópica, foram observados formigamento, queimação e rubor.

Em casos de inalação, foram relatadas dispneia16, dor torácica, irritação nos olhos17, rouquidão e náuseas18. Dada a possibilidade de extravasamento, e aconselhável monitorar cautelosamente o local da infusão quanto a possível infiltração durante a administração da droga (vide 5. ADVERTENCIAS E PRECAUCOES . Reação no Local da Injeção19).


Paclitaxel deve ser administrado através de um filtro com membrana microporosa de não mais que 0,22 micron. O uso de filtros que incorporem tubos curtos revestidos de PVC por dentro e por fora não resulta em liberação significativa de DEHP.


Condições de manuseio e dispensação

Procedimentos para manuseio, dispensação e descarte adequado de drogas antineoplásicas devem ser considerados. 1-4

Para minimizar o risco de exposição dérmica, sempre use luvas impermeáveis quando manuseando frascos contendo paclitaxel. Isto inclui todas as atividades de manuseio em clinicas, farmácias, depósitos e serviço domiciliar, incluindo a abertura da embalagem e inspeção20, transporte dentro de uma instalação e preparação e administração da dose.


Risco de uso por via não recomendada

Não ha estudos dos efeitos de paclitaxel concentrado para injeção19 administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para eficácia desta apresentação, a administração deve ser somente pela via intravenosa.


Preparação para Administração Intravenosa

Paclitaxel deve ser diluído antes da infusão ate o volume final de 25 a 100 mL (frasco-ampola de 5 mL), 83,3 a 333 mL (frasco-ampola de 16,7 mL), 150 a 500 mL (frasco-ampola de 25 mL) e 250 a 1000 mL (frasco-ampola de 50 mL), atingindo uma concentração final de 0,3 a 1,2 mg/mL. Paclitaxel deve ser diluído em uma das seguintes soluções: soro21 fisiológico22 a 0,9%, solução injetável de glicose23 a 5%, solução glicose23 a 5% + soro21 fisiológico22 0,9%, ou em solução glicosada a 5% em solução de Ringer.

Na preparação, as soluções podem mostrar turbidez, atribuída ao veiculo da formulação.

Não foram observadas perdas significativas de potencia após liberação da solução através de dispositivos de administração intravenosa acoplados a um filtro (0,22 micron).

As soluções de paclitaxel devem ser preparadas e mantidas em frascos de vidro, polipropileno ou poliolefina. Devem ser utilizados dispositivos de administração que não contenham PVC, como os feitos de polietileno (vide NOTA).

As soluções diluídas são física e quimicamente estáveis por ate 27 horas em temperatura ambiente (entre 15oC . 30oC), devendo as infusões ser concluídas neste período de tempo. Foram raros os relatos de precipitação com períodos de infusão mais longos do que as 3 horas recomendadas. Agitação excessiva, vibração ou sacudidas podem induzir a precipitação e devem ser evitadas. O equipamento de infusão deve ser completamente lavado com o diluente compatível antes do uso.

Dispositivos com pontas afiadas não devem ser utilizados com os frascos de paclitaxel, pois podem causar o rompimento da tampa, resultando na perda da esterilidade24 da solução de paclitaxel.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
3 Neutrófilos: Leucócitos granulares que apresentam um núcleo composto de três a cinco lóbulos conectados por filamenos delgados de cromatina. O citoplasma contém grânulos finos e inconspícuos que coram-se com corantes neutros.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
6 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
7 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
8 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
9 Sarcoma: Neoplasia maligna originada de células do tecido conjuntivo. Podem aparecer no tecido adiposo (lipossarcoma), muscular (miossarcoma), ósseo (osteosarcoma), etc.
10 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
11 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
12 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
13 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
14 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
15 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
16 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
17 Olhos:
18 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
19 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
20 Inspeção: 1. Ato ou efeito de inspecionar; exame, vistoria, inspecionamento. 2. Ato ou efeito de fiscalizar; fiscalização, supervisão, observação. 3. Exame feito por inspetor (es).
21 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
22 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
23 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
24 Esterilidade: Incapacidade para conceber (ficar grávida) por meios naturais. Suas causas podem ser masculinas, femininas ou do casal.

Tem alguma dúvida sobre SARCOMA DE KAPÓSI RELACIONADO à AIDS PACLITAXEL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.