PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS XELODA

Atualizado em 28/05/2016

As toxicidades dose-limitantes incluem diarréia1, dor abdominal, náusea2, estomatite3 e síndrome4 mão5-pé. XELODA pode induzir diarréia1, o que se observou em praticamente metade dos doentes tratados. As pacientes com diarréia1 grave deverão ser monitoradas cuidadosamente, recebendo reposição de líquidos e eletrólitos6, caso fiquem desidratadas.A diarréia1 Grau 2 é definida como um aumento de 4 a 6 evacuações/dia ou evacuações noturnas; diarréia1 Grau 3 como 7 a 9 evacuações/dia ou incontinência7 e má absorção e diarréia1 Grau 4 como um aumento de ³ 10 evacuações/dia, diarréia1 com sangramento
abundante ou necessidade de suporte parenteral. Caso ocorra diarréia1 Graus 2, 3 ou 4, a administração de XELODA deverá ser interrompida, até que a diarréia1 deixe de existir ou diminua a intensidade para Grau 1. Após a diarréia1 de Grau 3 ou 4, as doses
subseqüentes de XELODA deverão ser diminuídas. A síndrome4 mão5-pé (também conhecida como eritrodisestesia palmo-plantar) foi relatada em praticamente metade das pacientes que receberam XELODA. Houve, com pouca freqüência, pacientes que desenvolveram sintomas8 Grau 3; com maior freqüência, apenas sintomas8 Grau 1 ou 2. A maioria dos eventos adversos é reversível e não requer descontinuação permanente do tratamento, embora possa ser necessário eliminar ou reduzir as doses.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
2 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
3 Estomatite: Inflamação da mucosa oral produzida por infecção viral, bacteriana, micótica ou por doença auto-imune. É caracterizada por dor, ardor e vermelhidão da mucosa, podendo depositar-se sobre a mesma uma membrana brancacenta (leucoplasia), ou ser acompanhada de bolhas e vesículas.
4 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
5 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
6 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
7 Incontinência: Perda do controle da bexiga ou do intestino, perda acidental de urina ou fezes.
8 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.

Tem alguma dúvida sobre PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS XELODA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.