PRECAUÇÕES LINATIS

Atualizado em 28/05/2016
1. GERAIS
OS PACIENTES DEVEM SER ALERTADOS QUE ESTE PRODUTO NÃO PROTEGE CONTRA INFECÇÃO1 POR HIV2 ( AIDS ) E OUTRAS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.
2. EXAME FÍSICO E ACOMPANHAMENTO
É CONSIDERADO COMO BOA PRÁTICA MÉDICA PARA MULHERES SEXUALMENTE ATIVAS QUE UTILIZAM ANTICONCEPCIONAIS ORAIS A REALIZAÇÃO DA ANAMNESE E EXAMES ANUAIS . O EXAME FÍSICO PODE SER PROTELADO ATÉ APÓS O INÍCIO DA UTILIZAÇÃO DO ANTICONCEPCIONAL ORAL, SE SOLICITADO PELA PACIENTE E JULGADO APROPRIADO PELO MÉDICO.
3. METABOLISMO3 DE CARBOIDRATOS E LIPÍDEOS
ALGUMAS USUÁRIAS PODEM EXPERIMENTAR PEQUENA DIMINUIÇÃO NA TOLERÂNCIA À GLICOSE4, COM AUMENTOS DA INSULINA5 PLASMÁTICA , MAS MULHERES DIABÉTICAS QUE UTILIZAM ANTICONCEPCIONAIS ORAIS À BASE DE PROGESTOGÊNIO PURO,GERALMENTE NÃO APRESENTAM ALTERAÇÕES EM SUAS NECESSIDADES DE INSULINA5. NO ENTANTO, MULHERES PRÉ DIABÉTICAS E DIABÉTICAS EM PARTICULAR, DEVEM SER CUIDADOSAMENTE MONITORADAS ENQUANTO ESTIVEREM TOMANDO ANTICONCEPCIONAIS ORAIS À BASE DE PROGESTOGÊNIO  PURO. O METABOLISMO3 LIPÍDICO É OCASIONALMENTE AFETADO, PODE HAVER A DIMINUIÇÃO DE HDL6, HDL2 E APOLIPOPROTEÍNA A-I E A-II, LIPASE HEPÁTICA7 PODE ESTAR AUMENTADA. NORMALMENTE NÃO HÁ ALTERAÇÕES NO COLESTEROL8 TOTAL, HDL3, LDL9 OU VLDL.
4. INTERAÇÕES COM TESTES LABORATORIAS
OS SEGUINTES TESTES ENDÓCRINOS PODEM SER AFETADOS PELO USO DE ANTICONCEPCIONAIS ORAIS À BASE DE PROGESTOGÊNIO PURO;
_ AS CONCENTRAÇÕES DE GLOBULINA10 DE LIGAÇÃO DE HORMÔNIO11 SEXUAL (SHBG) PODEM ESTAR DIMINUÍDAS.
_ AS CONCENTRAÇÕES DE TIROXINA PODEM ESTAR DIMINUÍDAS DEVIDO Á UMA DIMINUIÇÃO DA GLOBULINA10 DE LIGAÇÃO DA TIREÓIDE(TBG).
5. CARCINOGÊNESE
VER ITEM ADVERTÊNCIAS.
6. GRAVIDEZ12
MUITOS ESTUDOS NÃO TÊM ENCONTRADO EFEITOS NO DESENVOLVIMENTO FETAL ASSOCIADOS COM O USO PROLONGADO DE DOSES CONTRACEPTIVAS DE PROGESTOGÊNIOS ORAIS. OS POUCOS ESTUDOS SOBRE O CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL QUE TÊM SIDO CONDUZIDOS NÃO DEMOSTRARAM EFEITOS ADVERSOS SIGNIFICANTES. NO ENTANTO , É PRUDENTE AFASTAR UMA SUSPEITA  DE  GRAVIDEZ12 ANTES DE INICIAR O USO DE QUALQUER OUTRO CONTRACEPTIVO HORMONAL.
7. FERTILIDADE APÓS A DESCONTINUAÇÃO
OS DADOS DISPONÍVEIS SÃO LIMITADOS E INDICAM UM RÁPIDO RETORNO DA OVULAÇÃO13 NORMAL E DA FERTILIDADE APÓS A DESCONTINUAÇÃO DO USO DE ANTICONCEPCIONAIS ORAIS À BASE DE PROGESTOGÊNIO PURO.
8. CEFALÉIA14
O INÍCIO OU EXARCEBAÇÃO DE ENXAQUECA15 OU DESENVOLVIMENTO DE CEFALÉIA14 GRAVE COM SINTOMAS16 NEUROLÓGICOS FOCAIS, RECORRENTES OU PERSITENTES, REQUEREM DESCONTINUAÇÃO DO USO DE ANTICONCEPCIONAIS ORAIS À BASE DE PROGESTOGÊNIO PURO E AVALIAÇÃO DA CAUSA.
LACTAÇÃO17
NÃO FORAM ENCONTRADOS EFEITOS ADVERSOS  SOBRE O DESEMPENHO DA AMAMENTAÇÃO18 OU NA SAÚDE19, CRESCIMENTO OU DESENVOLVIMETO DO LACTENTE20. PEQUENAS QUANTIDADES DE PROGESTOGÊNIO PASSAM PARA O LEITE MATERNO, RESULTANDO EM NÍVEIS DE ESTERÓIDES NO PLASMA21 DA CRIANÇA DE 1 - 6 % DOS NÍVEIS PLASMÁTICOS MATERNOS. PROGESTOGÊNIOS EM DOSES BAIXAS SÃO RECOMENDADOS COMO CONTRACEPTIVOS EM MULHERES LACTANTES22, DESDE QUE O USO TENHA INÍCIO  6 SEMANAS APÓS O PARTO ( NO CASO DE ALEITAMENTO MISTO, OU SEJA QUE COMPLEMENTAM COM OUTRO LEITE QUE NÃO O MATERNO).
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
3 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
4 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
5 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
6 HDL: Abreviatura utilizada para denominar um tipo de proteína encarregada de transportar o colesterol sanguíneo, que se relaciona com menor risco cardiovascular. Também é conhecido como â쏝om Colesterolâ. Seus valores normais são de 35-50mg/dl.
7 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
8 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
9 LDL: Lipoproteína de baixa densidade, encarregada de transportar colesterol através do sangue. Devido à sua tendência em depositar o colesterol nas paredes arteriais e a produzir aterosclerose, tem sido denominada “mau colesterol“.
10 Globulina: Qualquer uma das várias proteínas globulares pouco hidrossolúveis de uma mesma família que inclui os anticorpos e as proteínas envolvidas no transporte de lipídios pelo plasma.
11 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
12 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
13 Ovulação: Ovocitação, oocitação ou ovulação nos seres humanos, bem como na maioria dos mamíferos, é o processo que libera o ovócito II em metáfase II do ovário. (Em outras espécies em vez desta célula é liberado o óvulo.) Nos dias anteriores à ovocitação, o folículo secundário cresce rapidamente, sob a influência do FSH e do LH. Ao mesmo tempo que há o desenvolvimento final do folículo, há um aumento abrupto de LH, fazendo com que o ovócito I no seu interior complete a meiose I, e o folículo passe ao estágio de pré-ovocitação. A meiose II também é iniciada, mas é interrompida em metáfase II aproximadamente 3 horas antes da ovocitação, caracterizando a formação do ovócito II. A elevada concentração de LH provoca a digestão das fibras colágenas em torno do folículo, e os níveis mais altos de prostaglandinas causam contrações na parede ovariana, que provocam a extrusão do ovócito II.
14 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
15 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
16 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
17 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
18 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
19 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
20 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
21 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
22 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.

Tem alguma dvida sobre PRECAUÇÕES LINATIS?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.