REAÇÕES ADVERSAS NEURONTIN

Atualizado em 28/05/2016

EPILEPSIA1

A segurança de NeurontinÒ (gabapentina) foi avaliada em mais de 2000 indivíduos e empacientes participantes de estudos de terapêutica2 de associação. O fármaco3 foi bem
tolerado. Deste total, 543 pacientes participaram de estudos clínicos con trolados. Como o
NeurontinÒ foi freqüentemente administrado em associação com outros fármacos
antiepilépticos, não foi possível determinar qual(is) fármaco3(s) foi(ram) responsável(is)
pelos eventos adversos.
NeurontinÒ também foi avaliado como monoterapia em mais de 600 pacientes. Os
eventos adversos observados foram geralmente de intensidade leve a moderada.
Incidência4 em Estudos Clínicos Controlados da Terapêutica2 de Associação
A Tabela 2 lista os sinais5 e sintomas6 que surgiram com o tratamento, em pelo menos 1%
dos pacientes com crises parciais, que participaram de estudos placebo7 -controlados
como terapêutica2 de associação. Nestes estudos, tanto a gabapentina quanto o placebo7
foram administrados a pacientes recebendo outros fármacos antiepilépticos. Os eventos
adversos mais freqüentemente relatados foram considerados de intensidade leve a
moderada.


TABELA 2
Resumo dos Sinais5 e Sintomas6 que Surgiram com o Tratamento em = 1% dos
Pacientes Tratados com Gabapentina em Estudos Placebo7-Controlados na
Terapia de Associação

COSTART
Sistema/ Eventos Adversos a (EA)    Gabapentina a Placebo7 a
                     (N = 543)            (N = 378)
                nº de pacientes     %        nº de pacientes     %

Geral
Dor abdominal             10         1,8         9         2,4
Dor lombar             10         1,8         2         0,5
Fadiga8                 60         11,0         19         5,0
Febre9                 7         1,3         5         1,3
Cefaléia10                 44         8,1         34         9,0
Infecção11 Viral             7         1,3         8         2,1
Cardiovascular
Vasodilatação             6         1,1         1         0,3
Digestivo
Constipação12             8         1,5         3         0,8
Anorma lidades dentárias         8         1,5         1         0,3
Diarréia13                 7         1,3         8         2,1
Dispepsia14             12         2,2         2         0,5
Aumento do apetite         6         1,1         3         0,8
Boca15 ou garganta16 seca         9         1,7         2         0,5
Náusea17 e/ou vômito18         33         6,1         27         7,1
Hematológico e Linfático19
Leucopenia20             6         1,1         2         0,5
Diminuição da contagem de
glóbulos brancos            6         1,1         2         0,5
Metabólico e Nutricional
Edema21 periférico             9         1,7         2         0,5
Ganho de peso             16         2,9         6         1,6
Músculo-esquelético
Fratura22                 6         1,1         3         0,8
Mialgia23                 11         2,0         7         1,9
Nervoso
Amnésia24                 12         2,2         0         0,0
Ataxia25                 68         12,5         21         5,6
Confusão             9         1,7         7         1,9
Coordenação anormal         6         1,1         1         0,3
Depressão             10         1,8         7         1,8
Tontura26                 93         17,1         26         6,9
Disartria27                 13         2,4         2         0,5
Instabilidade emocional         6         1,1         5         1,3
Insônia                 6         1,1         7         1,9
Nervosismo             13         2,4         7         1,9
Nistagmo28             45         8,3         15         4,0
Sonolência             105         19,3         33         8,7
Pensamento anormal         9         1,7         5         1,3
Tremor                 37         6,8         12         3,2
Abalos musculares         7         1,3         2         0,5
Respiratório
Tosse                 10         1,8         5         1,3
Faringite29                 15         2,8         6         1,6
Rinite30                 22         4,1         14         3,7
Pele31 e Apêndices
Escoriação32             7         1,3         0         0,0
Acne33                 6         1,1         5         1,3
Prurido34                 7         1,3         2         0,5
Rash35                 8         1,5         6         1,6
Sentidos Especiais
Ambliopia36             23         4,2         4         1,1
Diplopia37                 32         5,9         7         1,9
Urogenital38
Impotência39             8         1,5         4         1,1

a : inclui tratamento concomitante com fármacos antiepilépticos

Outros Eventos Adversos Observados Durante Todos os Estudos Clínicos

Terapêutica2 de Associação
São resumidos a seguir os eventos que ocorreram em pelo menos 1% dos participantes
do estudo com epilepsia1, que receberam gabapentina em terapêutica2 de associação em
qualquer estudo clínico e que não foram descritos no item anterior, como sinais5 e
sintomas6 que freqüentemente ocorreram durante os estudos placebo7-controlados.

    Geral: astenia40, mal-estar, edema21 facial.
 Sistema Cardiovascular41: hipertensão42.
 Sistema Digestivo43: flatulência, anorexia44, gengivite45.
    Sistema Sangüíneo e Linfático19: púrpura46 mais freqüentemente descrita como
contusões resultantes de trauma.
    Sistema Músculo -esquelético: artralgia47.
 Sistema Nervoso48: vertigem49, hipercinesia50, aumento, diminuição ou abolição de
reflexos, parestesia51, ansiedade, hostilidade.
 Sistema Respiratório52: pneumonia53.
    Sistema U rogenital: infecção11 do trato urinário54.
    Sentidos Especiais: visão55 anormal, mais freqüentemente descrita como um distúrbio
da visão55.

Monoterapia

Não foram relatados eventos adversos inesperados ou novos durante os estudos clínicos
em monoterapia. Tonturas56, ataxia25, sonolência, parestesia51 e nistagmo28 correlacionaram-se
à dose ao se comparar 300 com 3600 mg/dia.

Uso em Pacientes Idosos

Cinqüenta e nove indivíduos de 65 anos de idade ou mais, receberam gabapentina em
estudos clínicos pré-comercialização. Os efeitos colaterais57 nestes pacientes não foram
diferentes dos relatados em indivíduos mais jovens. Para pacientes58 com função renal59
comprometida, a dose deve ser ajustada (vide "Posologia").
Interrupção do Tratamento Devido a Eventos Adversos

Terapêutica2 de Associação

Aproximadamente 7% dos mais de 2000 voluntários sadios e pacientes com epilepsia1,
espasticidade60 ou enxaqueca61, que receberam gabapentina em estudos clínicos,
descontinuaram o tratamento devido a eventos adversos.
Em todos os estudos clínicos, os eventos que ocorreram mais freqüentemente e que
contribuíram para a descontinuação do tratamento com a gabapentina incluíram
sonolência, ataxia25, tontura26, fadiga8, náusea17 e/ou vômito18. Quase todos os participantes
tiveram queixas múltiplas e nenhuma delas pôde ser caracterizada como primária.

Monoterapia

Em estudos anteriores à comercialização, aproximadamente 8% dos 659 pacientes que
receberam gabapentina como monoterapia ou passaram para a monoterapia,
descontinuaram o tratamento devido a um evento adverso. Os eventos adversos mais
comumente associados com a descontinuação foram tontura26, nervosismo, ganho de
peso, náusea17 e/ou vômito18 e sonolência.

DOR NEUROPÁTICA62

TABELA 3
Resumo dos Sinais5 e Sintomas6 que Surgiram com o Tratamento em ³ 1% de
Pacientes Tratados com Gabapentina em Estudos de Dor Neuropática62 Placebo7-
Controlados

COSTART
Sistema / Eventos Adversos        Gabapentina Placebo7
                   (N = 821)        (N = 537)
                nº de pacientes     %    nº de pacientes.....%

Geral
Dor abdominal             23         2,8     17     3,2
Lesão63 acidenta l             32         3,9     17     3,2
Astenia40                 41         5,0     25     4,7
Dor lombar             19         2,3     8     1,5
Sintomas6 de gripe64             21         2,6     14     2,6
Cefaléia10                 45         5,5     33     6,1
Infecção11                 38         4,6     40     7,4
Dor                 30         3,7     36     6,7
Digestivo
Constipação12             19         2,3     9     1,7
Diarréia13                 46         5,6     24     4,5
Boca15 seca             27         3,3     5     0,9
Dispepsia14             16         1,9     10     1,9
Flatulência             14         1,7     6     1,1
Náusea17                 45         5,5     29     5,4
Vômito18                 16         1,9     13     2,4
Metabólico e Nutricional
Edema21 periférico             44         5,4     14     2,6
Ganho de peso             14         1,7     0     0,0
Nervoso
Alteração da marcha         9         1,1     0     0,0
Amnésia24                 15         1,8     3     0,6
Ataxia25                 19         2,3     0     0,0
Confusão             15         1,8     5     0,9
Tontura26                 173         21,1     35     6,5
Hipestesia             11         1,3     3     0,6
Sonolência             132         16,1     27     5,0
Pensamento anormal         12         1,5     0     0,0
Tremor                 9         1,1     6     1,1
Vertigem49                 8         1,0     2     0,4
Respiratório
Dispnéia65                 9         1,1     3     0,6
Faringite29                 15         1,8     7     1,3
Pele31 e Apêndices
Rash35                 14         1,7     4     0,7
Sentidos Especiais
Ambliopia36             15         1,8     2     0,4

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
2 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
3 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
4 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
5 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
8 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
9 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5캜 e temperatura retal acima de 38캜. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
10 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
11 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
12 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
13 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
14 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
15 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
16 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
17 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
18 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
19 Linfático: 1. Na histologia, é relativo à linfa, que contém ou que conduz linfa. 2. No sentido figurado, por extensão de sentido, a que falta vida, vigor, energia (diz-se de indivíduo); apático. 3. Na história da medicina, na classificação hipocrática dos quatro temperamentos de acordo com o humor dominante, que ou aquele que, pela lividez das carnes, flacidez dos músculos, apatia e debilidade demonstradas no comportamento, atesta a predominância de linfa.
20 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
21 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
22 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
23 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
24 Amnésia: Perda parcial ou total da memória.
25 Ataxia: Reflete uma condição de falta de coordenação dos movimentos musculares voluntários podendo afetar a força muscular e o equilíbrio de uma pessoa. É normalmente associada a uma degeneração ou bloqueio de áreas específicas do cérebro e cerebelo. É um sintoma, não uma doença específica ou um diagnóstico.
26 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
27 Disartria: Distúrbio neurológico caracterizado pela incapacidade de articular as palavras de maneira correta (dificuldade na produção de fonemas). Entre as suas principais causas estão as lesões nos nervos centrais e as doenças neuromusculares.
28 Nistagmo: Movimento involuntário, rápido e repetitivo do globo ocular. É normal dentro de certos limites diante da mudança de direção do olhar horizontal. Porém, pode expressar doenças neurológicas ou do sistema de equilíbrio.
29 Faringite: Inflamação da mucosa faríngea em geral de causa bacteriana ou viral. Caracteriza-se por dor, dificuldade para engolir e vermelhidão da mucosa, acompanhada de exsudatos ou não.
30 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
31 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
32 Escoriação: Ato ou efeito de escoriar-se; esfolar-se, ferir-se.
33 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
34 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
35 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
36 Ambliopia: Ambliopia ou â쐎lho preguiçosoâ é um termo oftalmológico usado para definir a baixa visão que não é corrigida com óculos. Isso quer dizer que a causa desse déficit não está especificamente no olho, mas sim na região cerebral que corresponde à visão e que não foi devidamente estimulada no momento certo (â쐎 olho não aprende a verâ). Afeta 1 a 2% da população, sendo a principal causa de baixa visão nas crianças. É um problema que pode passar despercebido pela criança ou pelos pais, por isso as triagens visuais para as crianças são tão importantes.
37 Diplopia: Visão dupla.
38 Urogenital: Na anatomia geral, é a região relativa aos órgãos genitais e urinários; geniturinário.
39 Impotência: Incapacidade para ter ou manter a ereção para atividades sexuais. Também chamada de disfunção erétil.
40 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
41 Sistema cardiovascular: O sistema cardiovascular ou sistema circulatório sanguíneo é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
42 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
43 Sistema digestivo: O sistema digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
44 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
45 Gengivite: Condição em que as gengivas apresentam-se com sinais inflamatórios e sangramentos.
46 Púrpura: Lesão hemorrágica de cor vinhosa, que não desaparece à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
47 Artralgia: Dor em uma articulação.
48 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
49 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
50 Hipercinesia: Motilidade patologicamente excessiva, com aumento da amplitude e da rapidez dos movimentos.
51 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
52 Sistema Respiratório: Órgãos e estruturas tubulares e cavernosas, por meio das quais a ventilação pulmonar e as trocas gasosas entre o ar externo e o sangue são realizadas.
53 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
54 Trato Urinário:
55 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
56 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
57 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
58 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
59 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
60 Espasticidade: Hipertonia exagerada dos músculos esqueléticos com rigidez e hiperreflexia osteotendinosa.
61 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
62 Neuropática: Referente à neuropatia, que é doença do sistema nervoso.
63 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
64 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
65 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.