GRAVIDEZ E LACTAÇÃO SINVASTATINA

Atualizado em 28/05/2016

Gravidez1 - Sinvastatina é contra-indicada durante a gravidez1.Em virtude da capacidade dos inibidores da HMG-CoA redutase tais como a Sinvastatina, diminuírem a síntese do colesterol2 e, possivelmente, de outros produtos da biossíntese do colesterol2, este medicamento é contra-indicado durante a gravidez1. A aterosclerose3 é um processo crônico4 e a descontinuação dos agentes hipolipemiantes durante a gravidez1 deve ter pequeno impacto a longo prazo. Além disso, o colesterol2 e outros produtos da biossíntese do colesterol2 são componentes essenciais para o desenvolvimento fetal, incluindo a síntese de esteróis e de membranas celulares.
A Sinvastatina deve ser administrada a mulheres em idade fértil apenas quando essas pacientes tiverem muito pouca probabilidade de engravidar. Se a paciente engravidar durante o uso do medicamento, o tratamento deve ser interrompido imediatamente e a paciente avisada dos possíveis riscos para o feto5.
Há poucos relatos de anomalias congênitas6 em bebês7 cujas mães foram tratadas durante a gravidez1 com inibidores da HMG-CoA redutase (veja Contra-Indicações). Em uma revisão de aproximadamente 100 gestações planejadas, em mulheres expostas à Sinvastatina ou a outros inibidores da HMG-CoA redutase estruturalmente relacionados, a incidência8 de anomalias congênitas6, abortos espontâneos e mortes fetais/natimortos não excedeu o esperado na população geral. Como a segurança em gestantes não foi estabelecida e não há benefício aparente na terapia com Sinvastatina durante a gravidez1, o tratamento deve ser imediatamente descontinuado assim que reconhecida a gravidez1.
Lactação9 - não se sabe se a Sinvastatina ou os seus metabólitos10 são excretadas no leite humano. Como muitas drogas são excretadas desta forma, e devido ao potencial para reações adversas graves em lactentes11, as mulheres que tomam Sinvastatina não devem amamentar seus filhos (veja Contra Indicações).
Efeitos sobre a habilidade de dirigir veículos e / ou operar máquinas
Pacientes particularmente sensíveis, em que os medicamentos podem induzir reações infrequentes devem estar atentos para as reações que manifestam com o uso deste medicamento, antes de conduzir veículos, de operar máquinas ou de desenvolver qualquer outra atividade que requeira concentração.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
3 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
4 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
5 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
6 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
7 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
8 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
9 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
10 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
11 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).

Tem alguma dúvida sobre GRAVIDEZ E LACTAÇÃO SINVASTATINA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.