DADOS DE SEGURANÇA PRÉ-CLÍNICA VISUDYNE

Atualizado em 28/05/2016

Nos estudos de doses repetidas em ratos e cães ( uma vez por dia, sem ativação pelaradiação por até 4 semanas ) registrou-se a ocorrência de hemólise1 extravascular2 ligeira
e resposta hematopoiética com exposição aproximadamente 70 vezes ( ratos ) e 32
vezes ( cães ) maior do que a exposição ( baseada em AUC ) da dose humana
recomendada.
A administração rápida de 2,0 mg/Kg de Verteporfina, a uma taxa de 7 mL/minuto em
porcos anestesiados, provocou alterações hemodinâmicas e, em alguns casos, morte
súbita, nos 2 minutos após administração do fármaco3. Efeitos semelhantes foram
observados em porcos sedados. O pré tratamento com difenidramina diminuiu estes
efeitos, o que sugere que a histamina4 pode desempenhar um papel neste processo. Os
animais não anestesiados e não sedados não foram afetados por estes parametros de
dosagem. Em cães anestesiados e conscientes, que receberam 20 mg/Kg de Verteporfina
administrada a uma taxa de infusão de 5 mL/minuto, não foram registradas alterações.
Os efeitos registrados podem ser o resultado da ativação do sistema do complemento. A
Verteporfina em concentrações 5 vezes superiores às concentrações plasmáticas
esperadas em pacientes tratados, provocou um baixo nível de ativação do sistema do
complemento em sangue5 humano in vitro.
Foram registrados os níveis de toxicidade6 ocular em coelhos e macacos normais,
particularmente na retina7/coróide, relacionados com a dose do fármaco3, dose de
radiação, e tempo de exposição à radiação. Os estudos de toxicidade6 ao nível da retina7
realizados em cães normais, com verteporfina intravenosa, e da luz ambiente a nível
ocular, mostraram não haver toxicidade6 relacionada com o tratamento.
Em um estudo de teratogenicidade em fetos de ratas, submetidas a doses maiores do que
aproximadamente 67 vezes a dose recomendada em seres humanos, apresentaram uma
maior incidência8 de anoftalmia/microftalmia, costelas9 onduladas e alterações fetais. Não
foi observada teratogenicidade em fetos de coelhas submetidas a 67 vezes a dose
recomendada em humanos.
A Verteporfina não apresentou genotoxicidade quer na ausência quer na presença de
radiação na bateria normal de testes genotóxicos.
Foram observados efeitos imunomodulatórios em camundongos. A fotoativação em
todo o corpo nas 3 horas seguintes à administração de Verteporfina modificou
positivamente o curso de várias condições patológicas mediadas imunologicamente e
reduziram as respostas de imunidade10 da pele11 normal sem causar reação cutânea12 ou
imunossupressora generalizada não específica.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Hemólise: Alteração fisiológica ou patológica, com dissolução ou destruição dos glóbulos vermelhos do sangue causando liberação de hemoglobina. É também conhecida por hematólise, eritrocitólise ou eritrólise. Pode ser produzida por algumas anemias congênitas ou adquiridas, como consequência de doenças imunológicas, etc.
2 Extravascular: Relativo ao exterior dos vasos sanguíneos e linfáticos, ou que ali se situa ou ocorre.
3 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
4 Histamina: Em fisiologia, é uma amina formada a partir do aminoácido histidina e liberada pelas células do sistema imunológico durante reações alérgicas, causando dilatação e maior permeabilidade de pequenos vasos sanguíneos. Ela é a substância responsável pelos sintomas de edema e irritação presentes em alergias.
5 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
6 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
7 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
8 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
9 Costelas:
10 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
11 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
12 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.

Tem alguma dúvida sobre DADOS DE SEGURANÇA PRÉ-CLÍNICA VISUDYNE?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.